16 de Agosto dia de Omulú, o senhor das doenças e da cura

No dia 16 de agosto, comemoramos o “Dia de Omolú/Obaluaiê“, o senhor das doenças, o responsável pela passagem dos espíritos do plano material para o espiritual.

A data é escolhida a partir do sincretismo religioso entre Omolú/Obaluaiê com São Lázaro.

Vestido com palha da costa e com contas nas cores vermelha, preta e branca, Omolú dança o Opanijé, dança ritual marcada pelo ritmo lento com pausas, enquanto segura em suas mãos o xaxará, instrumento ritual também feito de palha-da-costa e recoberto de búzios.

Em alguns momentos da dança, Omolú espanta os eguns, (espíritos dos mortos) e afasta as doenças, com movimentos rituais.

SINCRETISMO RELIGIOSO

Dia de Omolú é 16 de Agosto
Omolú é comemorado em 16 de Agosto devido ao sincretismo com São Lázaro

Omolú/Obaluaiê foi sincretizado com São Roque, que é um santo da Igreja Católica , protetor contra a peste e padroeiro dos inválidos e cirurgiões.

A sua popularidade, devido à intercessão contra a peste, é grande sendo protetor de múltiplas comunidades em todo o mundo católico e padroeiro de diversas profissões ligadas à medicina, ao tratamento de animais e dos seus produtos e aos cães.

A sua festa celebra-se em 16 de Agosto.

CARACTERÍSTICAS DOS FILHOS DE OMOLÚ/OBALUAÊ

Todos os orixás tem uma erva correspondente para defumação
Omolú usa vestimenta de palha da costa que cobre todo o corpo do filho de santo

As principais características dos filhos de Omolú/Obaluaê é que costumam ser sérios, quietos, calados, alegres de vez em quando, ingênuos, porém observadores e um tanto teimosos.

Seus filhos agem como pessoas muito idosas, são lentos e tem hábitos de pessoas muito velhas. Os filhos deste Orixá também podem apresentar muitos problemas de saúde, no entanto, curam-se rapidamente. Tem também muita disposição para o trabalho, sendo incansáveis em suas obrigações.

CULTO A OMOLÚ/OBALUAÊ

Orixá muito respeitado e temido pelos simpatizantes e adeptos da umbanda e candomblé, pelo seu poder de cura de doenças, assim como pelo poder de causar as doenças que levam a morte os moribundos. Os devotos lhe atribuem curas milagrosas, realizando oferendas de pipocas, o deburu ou doburu, em sua homenagem ou jogando-as sobre o doente como descarrego.

Doburu é a comida ritual mais apreciada pelos orixás Obaluaê e Omolú. É o milho de pipoca estourado em uma panela, em alguns lugares com óleo, em outros com areia. Nesse último caso, é preciso peneirar a areia dessa pipoca depois de pronta. Ao final, a pipoca é colocada em um alguidar (vasilha de barro) e enfeitada com pedacinhos de côco.

Omulú dança o opanijé em sua festa anual em 16 de Agosto

 

  • Dia da semana: segunda-feira
  • Cores: amarelo, preto, vermelho, branco
  • Oferendas: carne de porco, pipocas, etc
  • Fios de conta e guias: preta e branca leitosa, amarela e preta
  • Frutas: abacaxi
  • Folhas e ervas: mamona, alfavaca, babosa, barba de velho, etc
  • Bebidas: água mineral e vinho tinto doce

 

SAIBA MAIS

Saiba mais sobre Omolú/Obaluaê em nossa página dedicada a este orixá clicando aqui.

Características da personalidade dos filhos do orixá Omulú/Obaluaê